top of page

DO BUZU AO ESTRELATO: OS CAMINHOS DE LUCIANO DANTAS


Foto: Raphael Muller / Ag. A TARDE


De sorriso largo e um violão na mão, um 'motorista-cantor' recebeu a equipe do Portal A TARDE e contou um pouco da sua história.


Em meio a “corrida” rotina como motorista de ônibus coletivo em Salvador, Luciano Dantas, 40, que também é vocalista de seresta, revelou os motivos do investimento naquele que é o seu ritmo musical favorito.

A jornada dupla é feita com o auxílio do melhor amigo e 'xará', o Luciano Gutierrez, e do seu filho pré-adolescente.


No repertório, ele inclui canções românticas que o fizeram ficar conhecido como o “motorista que apaixona”.


E entre uma música e outra, ele recordou o começo da sua jornada na capital baiana.

Soteropolitano, Luciano viralizou nas redes sociais depois que um funcionário da Prefeitura de Salvador divulgou um vídeo dele cantando. Ele estava fardado e decidiu soltar a voz dentro de uma garagem de ônibus.


“Luciano, destrave seu Instagram, porque você bombou”, disse uma das primeiras pessoas responsáveis pelo 'pontapé' inicial da sua segunda carreira.

Com o sucesso nas redes, o motorista decidiu apostar na divulgação do seu trabalho artístico.


“Lá estava eu cantando: “tudo azul, lindo como a cor do mar, doce como o mel da flor e pra sempre vou te amar”, brinca ele citando um trecho da música “Tudo Azul”, da banda Asas Livres.

Primeiro passo


Antes do Carnaval deste ano, Luciano foi escolhido pela empresa em que trabalha para ser garoto propaganda da 'Expresso Salvador', linha de ônibus especial usada durante a folia.



“Quem é você para me dizer o que diz por aí?”, cantou ele, que ainda deu uma palhinha do slogan na conversa. Mas não foi fácil convencê-lo a soltar a voz. Luciano contou que os organizadores da propaganda tentaram, mas ele titubeou: “não, eu enrolo”, falou aos risos. No entanto, uma das produtoras insistiu: “agora você vai cantar, porque eu vou colocar no Instagram”, lembrou o motorista.

Mesmo sem saber do que se tratava a rede social, a produtora fez questão de criar uma conta para Luciano. Ele precisou recorrer ao filho para saber como "funcionava aquilo”. A conta, que era privada, virou pública depois da viralização nas redes sociais da Prefeitura e de outros perfis, como o Comédia Baiana, página com mais de 900 mil seguidores.


O prefeito Bruno Reis já o convidou para cantar em eventos, revelou o 'motorista-cantor'.


“Se prepare”, chegou a pedir o prefeito de Salvador, segundo ele.

Apesar da música ter entrado em sua vida sem pedir licença, mais do que um trabalho, Luciano disse que a profissão como motorista sempre foi “um sonho”. Ele ainda relatou que, quando criança, pegava um cabo de vassoura, fincava no chão, colocava um prego com um pedaço de madeira em uma parte e outro pedaço de madeira na área superior, simulando um carro de brinquedo. E fazia o barulho do motor.



Caminho do sucesso





Aos 13 anos, Luciano Dantas tocava violão e já compunha músicas. Após a “fama” recente, o motorista passou a revelar as composições, guardadas há mais de 20 anos.


“Há muito tempo que eu não te vi. Esse tempo me fez nascer. Não aguento mais”, cantou Luciano durante a entrevista.

A infância alegre também está ligada à relação com os pais, que para ele “são tudo”. O primeiro carro que teve foi presente do pai quando ainda tinha 15 anos: um Fusca branco, carro da década de 60 por qual ele tinha “uma paixão”.


“Que pai não faz de tudo para realizar o sonho do filho? Se ele me disser que quer uma bicicleta, eu vou fazer de tudo para realizar o sonho dele”, diz ele, apontando para o filho que estava lhe acompanhando, no entanto, “se fizer por merecer”, pondera, ao sinalizar também que sempre foi obediente aos pais, o que o ajudou a ter disciplina no trabalho e na vida, segundo ele.

O motorista começou a cantar quando ainda era lavador, com o primo Messias, mas os horários de trabalho tornaram difícil administrar o tempo com as duas funções.


“Eu trabalhava à noite e ficou complicado. Então, eu perguntei para Messias que tinha carreira de músico e rodoviário. Ele disse: ‘Lu, você tem vontade de ser rodoviário, mas é de baixo que se começa. Abrace essa oportunidade de lavador e de pouco em pouco que a galinha enche o papo’. No fim de semana quando tinha tempo, eu dava uma canja”, lembrou Luciano, que já provocava admiração dos colegas de trabalho pela voz.

Ele disse que “não aguentava mais” a função de lavador, pois exigia muito esforço das mãos e braços, por isso, pediu oportunidade ao seu gerente para ser transferido para cobrador. Pouco tempo depois, o sonho do menino que brincava de dirigir no quintal de casa começou a ser concretizado.


“Peguei dinheiro emprestado, troquei a habilitação para D. Entreguei em um dia [a habilitação] e no outro estava na manobra. Fiquei dois anos na baia, dois anos na manobra e 19 anos como motorista, totalizando 22 anos de empresa. Agora, estou no BRT”.

Luciano contou também que o amigo “irmão” Luciano Gutierrez, foi essencial para que ele desse uma chance a música, já que o ajudante de cozinha é cantor e até tem alguns CDs lançados. Gutierrez já se apresentou com Deivinho Novaes e outros artistas conhecidos, além de ser amigo de Luiz Caldas, conhecido como um dos reis do axé baiano.


“Nos conhecemos [Dantas e Gutierrez] há 18 anos e resolvemos unir o útil ao agradável, com Luciano fazendo participações [em eventos] e poder divulgar o trabalho”, disse Gutierrez.

Fã-clube a bordo





A saída de Luciano Dantas da linha de ônibus da empresa em que trabalhava não foi bem aceita pelos passageiros acostumados a ouvir sua voz cantando melodias românticas na rotina agitada do dia a dia. Segundo o motorista, eles chegaram a fazer um abaixo-assinado pela sua volta.


A música mais pedida era ‘Não Olhe Assim’, hit da dupla Leandro e Leonardo.

Em um dos seus vídeos recentes, uma passageira que estava dentro do ônibus da nova empresa em que ele trabalha, pediu uma palhinha de “Tudo Azul", música que viralizou em sua voz nas redes sociais. Mas hoje, trabalhando no BRT, Luciano Dantas já tem ajuda do supervisor para lidar com a rotina, quando a noite troca o volante pelo microfone.


“Ele me colocou na escala de todo sábado, e todo domingo e feriado, eu folgo. Já é uma oportunidade para dar conta”, diz Luciano. Ela conta ainda que já faz aula particular de canto com uma professora particular. “Tem 15 dias, né?”, questiona Luciano a Gutierrez, que assente.

Um dos seus maiores sonhos é reformar a casa do tio, que se encontra em situação financeira difícil, de acordo com ele.


“Se Deus permitir, caso eu suba de degrau, em degrau, meu sonho é reformar a casa de meu tio Aguinaldo. Ele mora numa casa muito complicada, que eu não gosto nem de ir, que corta meu coração. Ele trabalha, ajuda a família e não tem condições boas”, torce Luciano, que canta mais uma vez um trecho de “Tudo Azul”, como uma representação de esperança do que virá.

Fonte: https://atarde.com.br/cultura/culturamusica/do-buzu-ao-estrelato-os-caminhos-de-luciano-dantas-1225860

bottom of page