top of page
site-sma.png

BLOCO ALVORADA COMEMORA 48 ANOS E RETORNA PARA O CARNAVAL NA AVENIDA


Fotos: Isabela Cardoso | Ag. A TARDE


Após dois anos sem carnaval, a folia retornou em 2023 e com ela também voltaram os tradicionais blocos de samba que saem no circuito do Campo Grande, em Salvador. A concentração do Bloco Alvorada começou por volta das 21h, com uma grande quantidade de foliões animados para a saída pela avenida.


O desfile do bloco, que comemora 48 anos este ano, reuniu uma mistura de samba de roda, chula e partido alto. Dentro da corda, à frente do trio, estava presente um grupo de sambistas e baianas representando a cultura sambista.


"Essa é a primeira vez no Alvorada com a influência das minhas amigas. A iniciativa está sendo a melhor possível, depois de dois anos de pandemia, a gente está voltando com o gás todo, hoje é meu primeiro dia de carnaval e eu estou na expectativa total. Tenho o samba desde berço de familiar, influência de meu pai, de minha mãe, amo samba", disse a foliã Daniela Lima, 47 anos, ao Portal A TARDE.


Em 2023, o Bloco Alvorada trouxe para a Avenida a importância do poeta, compositor, escritor, jornalista e médico José Carlos Capinan com o tema “Soy loco por ti, Capinan” em referência a canção “Soy Loco por Ti, América” fruto de parceria com Gilberto Gil.

Os artistas convidados para o Bloco foram Arlindinho, Marquinhos, Sensação, Roberto Mendes, Aloisio Menezes, Marco Poca Olho, Grupo Bambeia, Tiago Dantas, Romilson, Bira, Arnaldo Rafael e Valdelio França.


"Eu amo o bloco, é o meu quinto ano e ano que vem, se Deus quiser, vamos curtir de novo o carnaval com o Alvorada. Eu prefiro sempre a Avenida e espero que não acabe o carnaval por aqui", contou Sara Marques, de 46 anos.

Antes da saída do Alvorada, houve o desfile do Bloco Exclusiva do Samba com Délcio Luiz e Fora da Mídia. Depois sai o Reduto do Samba com Xandy de Pilares. No entanto, a noite com a cultura sambista só acaba de madrugada com o Clube do Samba da Avenida.


"O Reduto do Samba é a primeira vez que estou participando. Eu estou amando e estou ansiosa. Estou aqui para me divertir. Gosto de coisas mais leves, por isso resolvi ficar na Avenida. Eu estou até decepcionada aqui é tradicional e não pode morrer. Só existe Barra", ressaltou a turista de Juazeiro, Jucilene Alves dos Santos, de 55 anos.

O folião Hamilton estava em um grupo de amigos com Jucilene esperando a saída dos blocos. Ele contou sobre sua paixão pelo samba.


"A gente tem dois anos esperando o Carnaval, a expectativa era enorme. Eu particularmente estava ansioso, eu gosto do samba, sou apaixonado, então toda vez que o samba está, eu estou. Na Feira de São Joaquim, no Garcia, são os melhores lugares que tem samba. Nada melhor do que você voltado e a gente está aqui curtindo com nossa família", descreveu Hamilton.

Comentarios


bottom of page