BAIANA LEVA DENDÊ PARA LISBOA E FAZ SUCESSO VENDENDO ACARAJÉ


Foto: Divulgação


Carolina Alves, 39, foi levada para Portugal para trabalhar como cozinheira e hoje tem seu próprio restaurante


Há 20 anos, uma cozinheira de mão cheia nascida e criada no bairro de Itapuã tem levado axé e baianidade para o outro lado do Atlântico. É impossível ouvir a história de Carolina Alves de Brito, de 39 anos, e não pensar: essa vida daria um filme. E dos bons. Quando tinha 19 anos, a caçula de 14 irmãos trabalhava no tabuleiro com Cira, famosa quituteira soteropolitana falecida há dois anos.


Foi lá mesmo, na rua Aristídes Milton, que Carol encantou um casal de portugueses que a fez um convite um tanto quanto inusitado. Com passagens pagas e hospedagem garantida, queriam que ela fosse trabalhar no restaurante deles em Portugal.


Carol resolveu embarcar na aventura sem nunca ter saído de Salvador, imaginando que iria passar poucos dias no continente europeu. Na época, não imaginava que anos depois teria seu próprio negócio, um pedacinho da Bahia no país que nos colonizou.


Depois alguns anos com o casal português, a baiana recebeu um convite para trabalhar na Embaixada do Brasil em Portugal. Foi durante esse período, no ano de 2017, que Carol passou a alugar um espaço na associação Casa do Brasil e fazer religiosamente, todas as quintas-feiras, um evento especial para quem quisesse se sentir em Salvador. Ela se montava de baiana e servia o quitute que rendeu o apelido de Carol do Acarajé.


“Acordava de manhã cedo, lavava feijão, fazia tudo. Fazia um pedacinho de Salvador naquela associação. Era música ao vivo, acarajé, abará, mocotó. Das 16h até 23h a gente tocava o terror ali e era muito gostoso”, relembra, sorridente. O sucesso das noites soteropolitanas em Lisboa foi tanto que Carol decidiu dar um grande passo na sua carreira e abriu seu próprio restaurante.

Hoje, a baiana comanda com muito orgulho o restaurante Acarajé da Carol, que fica localizado no Bairro Alto, no coração da capital de Portugal.


“Vim para cá na fé de Deus e dos Orixás. Quando saí de Salvador tinha só 19 anos, não sabia de nada. Embarquei aí e quando cheguei em Portugal, às 6 da manhã, minha vida tinha mudado da noite para o dia”, afirma Carol.

Apesar das dificuldades encontradas por ser imigrante e mulher negra, a baiana nunca deixou a fé de lado e foi, aos poucos, construindo sua vida pessoal e profissional longe de onde nasceu.


“O povo baiano sabe tirar de letra as dificuldades da vida. Eu nasci em uma família muito humilde e aprendi a ver as coisas pelo lado bom desde cedo apesar de todas as dificuldades”, diz.

Durante seus anos no país europeu, Carol foi responsável pela ida de três irmãos e três primas para Portugal e hoje é como se uma parte da família tivesse seguido os passos que traçou em 2002.


“Uma prima trouxe a filha, um vai trazendo o outro e hoje tenho uma parte da família aqui. A maior parte segue em Salvador e sempre que posso viajo para matar as saudades e recarregar as baterias”, diz. Carol também tem uma filha de 14 anos que nasceu em Portugal e se esforça para que a menina conheça e se interesse pela capital baiana.

“Ela nasceu aqui, mas já levei para Salvador e ela é apaixonada por lá e tem amizade com os familiares daí. Ela tem muito orgulho das suas origens e vou tentando inserir um pouco da nossa cultura na dela. É importante que ela saiba sobre a nossa cultura e o nosso povo”, conta. É nas viagens para a Bahia que Carol leva ingredientes para o restaurante.

No início de setembro, um vídeo publicado nas redes sociais que mostra a atriz Luana Piovani comendo o acarajé e conversando com Carol, viralizou.


“Eu recebo pessoas do Brasil inteiro no restaurante e muitos portugueses também. O pessoal que mora aqui sempre diz que se o restaurante tem brasileiro fazendo porta na fila, é porque a comida é boa”, brinca.

Entre famosos e anônimos, o Acarajé da Carol tem um movimento equilibrado entre nativos e turistas.


Carol aproveita a conversa para convidar quem for a Portugal visitar o restaurante. Ele fica localizado na Rua da Rosa, 63, em Lisboa e é possível entrar em contato através do telefone 21 34 210 73 ou pelo e-mail contato@restauranteacarajédacarol.com.



Fonte: https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/baiana-leva-dende-para-lisboa-e-faz-sucesso-vendendo-acaraje/?utm_source=correio24h_share_whatsapp

2 visualizações0 comentário