PROJETO VAI ATÉ AS PERIFERIAS PARA VALORIZAR CABELOS CRESPOS DAS CRIANÇAS

'

Foto: Donminique Santos/Divulgação

Meu crespo é de rainha e rei' oferece vivências afetivas para crianças em Bibliotecas de Salvador e RMS


Caso você, pessoa que lê, seja alguém preto ou preta, certamente se recorda de algum momento em que as pessoas ou você mesma se referiu ao próprio cabelo como ruim, duro, pichaim. Esses termos racistas podem parecer bobagem, mas a longo prazo têm o poder de criar complexos de inferiorização gigantesco para os futuros adultos.


Logo que possível, principalmente no caso das meninas, não são raras as manifestações de desejo para que mude, se tornando liso, padrão. Uma violência enorme de precisara se adequar e não poder ser o que é.


Para mudar essa realidade, o afeto é um dos principais caminhos. E é essa a aposta do ‘Meu Crespo é de rainha e rei’, um projeto idealizado pela escritora Donminique Santos e o músico Leo Rocha, que iniciou uma série de programações gratuitas na última sexta-feira (2) e vai percorrer periferias de Salvador com intervenções até o dia 1º do próximo mês.

"A iniciativa nasce do desejo de somar forças nos movimentos para a promoção de ações, atitudes e vivências que valorizem e fortaleçam as origens étnicas e raciais, a partir das políticas do cabelo", inicia Donminique.

A idealizadora do projeto explica que crianças negras, desde cedo, passam por uma série de preconceitos que minam, cotidianamente, a autoestima:


"Eu fui essa criança. Ouvia absurdos diversos em relação ao meu cabelo. Dói constatar que, mais de 30 anos depois, que estes mesmos preconceitos e estereótipos sigam provocando traumas das mais diversas ordens. Hoje, como mãe de uma criança negra, educadora, compreendo que é imprescindível seguir colaborando para uma infância livre de racismo, colaborando para fazermos agora um mundo melhor", completou.

A iniciativa visa resgatar, fortalecer, valorizar e visibilizar a identidade étnico e racial de crianças negras, a partir das políticas do cabelo. Para isso, vai realizar vivências afetivas para garotas e garotos, de três a nove anos de idade, acompanhadas de responsáveis.


A programação inclui contação de histórias, intervenção cênico-musical, oficina artística de autorretrato, oficina de autocuidado para cabelos crespos e sessão fotográfica (em estúdio móvel que será instalado na biblioteca). Ao final, fotos e autorretratos virarão uma instalação artística nas bibliotecas e espaços culturais.


“Por meio das vivências afetivas, buscamos trabalhar questões ligadas à identidade, beleza e autoestima na infância para desconstruir processos de autorrejeição do cabelo crespo entre crianças negras”, explica Donminique.

A intervenção Cênico-musical é baseada no livro “Zacimba, a menina que encrespou a história”, dos idealizadores do projeto.


De modo lúdico e interativo, o público embarca com a personagem Zacimba em uma viagem cheia de muitas aventuras, encrespando a história. O elenco é composto por Lilica Rocha, Aline Nepomuceno, Fernando Alves, Marcele Santos e Leo Rocha, que também assina a direção.


Donminique classifica o primeiro dia de atividades como potente, transformador e acolhedor. Ela afirma que houve recepção não só das crianças, mas, também, das famílias que acompanharam. A estreia foi na Biblioteca Infanto-Juvenil Betty Coelho, que fica na Boca do Rio.


“Foi incrível ver o envolvimento do público nas oficinas de auto-retrato e de autocuidado para cabelos crespos, a concentração acompanhando a intervenção cênico-musical, a empolgação com o ensaio fotográfico e a expectativa em relação à instalação artística prevista para o mês de novembro”, avaliou.

Toda a programação acontece em bairros de periferia de Salvador e Região Metropolitana. Além da Boca do Rio, a realeza dos crespinhos passará por Águas Claras, Cajazeiras V, Escada, Arraial do Retiro, Uruguai, Sete de Abril e Itinga. Confira programação completa no final do texto.


"Ao descentralizar, buscamos dialogar com quem, por uma série de motivos ligados aos marcadores sociais de exclusão, dificilmente, se deslocaria para o Centro de Salvador para participar de uma atividade como esta", explica Donminique.

Confira a programação:

02/09/2022 – Biblioteca Infanto-Juvenil Betty Coelho (Boca do Rio), das 14h às 18h

03/09/2022 – Biblioteca Comunitária Sandra Martini (Águas Claras), das 8h às 12h

09/09/2022 – Biblioteca Comunitária de Italo Local: Cajazeira V, das 14h às 18h

10/09/2022 – Biblioteca Comunitária Paulo Freire (Escada/Plataforma), das 8h às 12h

16/09/2022 – Espaço Esse é Nosso (Arraial do Retiro), das 14h às 18h

17/09/2022 – Biblioteca Comunitária Clementina de Jesus (Uruguai), das 8h às 12h 23/09/2022 – Espaço Ginga Mundo (Itapuã), das 14h às 18h

24/09/2022 – Teatro Eliete Teles Local (Itinga, Lauro de Freitas), das 8h às 12h

30/09/2022 – Casa da Música (Abaeté), das 14h às 18h

01/10/2022 – Biblioteca Comunitária Sete de Abril Local (Sete de Abril), das 8h às 12h


As inscrições devem ser feitas clicando neste link.


Fonte: https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/projeto-vai-ate-as-periferias-para-valorizar-cabelos-crespos-das-criancas/

3 visualizações0 comentário