PRÊMIO ANA MONTENEGRO, CONVOCATÓRIA DE POETISAS BAIANAS



Criada pela multiartista Ana Luisa Barral, o projeto “Bilhete em papel de arroz - Chamamento de poetisas - Prêmio Ana Montenegro”, convida mulheres baianas a colocarem na poesia suas histórias de lutas e lutos, de maternidade real, sexualidades/ singularidades e sobre o mito da mulher amável. Serão selecionados, premiados e publicados 30 poemas de autoras iniciantes e autoras já publicadas.


No total, 100 poemas serão publicados no blog do projeto (bilheteempapeldearroz.blogspot.com). Serão duas categorias, 25 prêmios para Iniciantes e cinco para Autoras publicadas. Cada prêmio no valor de R$ 300,00 (trezentos reais), totalizando R$ 9.000,00 (nove mil reais), que serão entregues a poetisas da Bahia. As inscrições estão abertas até 13 de março ou quando completarem 300 inscrições.

No dia 17 de abril, na segunda Live-performance "Bilhete em papel de arroz numa primavera tardia: memórias de um gozo que cura e extasia" Ana Luísa Barral apresentará temas ligados a sexualidade e divulgará as premiadas no Chamamento de poetisas - Prêmio Ana Montenegro. A transmissão da live-gravada será realizada no Youtube e na TV Kirimurê. Em cada live-performance o projeto convida as intelectuais negras Dedê Fatuma e Vânia Melo, escritoras e poetisas baianas.


O "Chamamento de poetisas - Prêmio Ana Montenegro" teve em seu lançamento a live-performance lítero-musical “Bilhete em papel de Arroz numa primavera tardia - retratos de uma cultura que mata todo dia”, onde Ana Luísa Barral apresenta músicas e poesias que falam de violências de gênero. Ela também homenageiou a ativista e poetisa Ana Montenegro que inspirou a criação do Prêmio. Para assistir na íntegra basta acessar o canal da artista@ana.luisa.barral, no YouTube.

A ideia do projeto é resgatar o poder da história das mulheres, por meio de homenagens, ativismo e premiação, abordando temas como violência, maternidade, prazer e poder. Ana Montenegro nasceu em 13 de abril de 1915 na cidade de Quixeramobim, no interior do Ceará. Mas, como ela rotineiramente gostava de afirmar: “sou cearense de nascimento, carioca de coração e baiana por escolha”. Atuou na área do direito, foi ativa jornalista, poetisa, desenvolveu intensa pesquisa histórica sobre os movimentos populares e suas lutas de contestação. Durante o golpe de 1964, no Brasil, foi a primeira mulher exilada, uma defensora dos direitos dos trabalhadores e do povo, em especial dos direitos das mulheres. Foi autora dos livros “Mulheres - participação nas lutas populares” (1988), ”Tempo de exílio” (1988) e “Ser ou não ser feminista” (1981).

O projeto tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultural do Ministério do Turismo, Governo Federal.


Acesse o blog http://bilheteempapeldearroz.blogspot.com, conheça mais sobre a história de Ana Montenegro, sobre a performance “Bilhete em Papel de Arroz” e saiba como se inscrever.


Fonte: http://www.aldeianago.com.br/noticias2/26544-premio-ana-montenegro-convocatoria-de-poetisas-baianas#:~:text=Ana%20Luisa%20Barral%2C%20o-,projeto,-%E2%80%9CBilhete%20em%20papel

1 visualização0 comentário