LANÇAMENTO DE LIVRO E RODA DE DIÁLOGO ABORDAM 40 ANOS DO MNU NA BAHIA E NO BRASIL



A história do movimento negro e da luta antirracista na Bahia e no Brasil pode ser dividida em antes e depois do surgimento do MNU. Para falar sobre o assunto, amanhã (10), a partir das 18h, no Restaurante Alaíde do Feijão (Pelourinho), a professora Ana Célia Silva fará palestra aberta ao público seguida de uma roda de diálogo com mediação de Ellen Coutinho, diretora da Fundação Perseu Abramo.


Uma boa parte dessa história também está contada no livro Movimento Negro Unificado, a Resistência nas Ruas, que será lançado durante o evento com distribuição gratuita de alguns exemplares. Reunir memórias sobre o movimento de jovens e ativistas fundado em 7 de julho de 1978 foi a principal preocupação dos organizadores - Ennio Brauns, Gevanilda Santos e José Adão de Oliveira. A programação desta terça inclui a apresentação da nova direção do Fórum de Entidades Negras

Co-publicação da Fundação Perseu Abramo e Edições Sesc, a obra Movimento Negro Unificado, a Resistência nas Ruas reúne fotografias, depoimentos, manifestos e ensaios que possibilitam percorrer a rica história de luta do MNU. As fotos foram produzidas por Ari Cândido, Ennio Brauns, Jesus Carlos, Joca Duarte, Juvenal Pereira, Luiz Paulo Lima, Rosa Gauditano, Samuel Tosta e Wagner Celestino.


Além dos organizadores, assinam os textos Claudete Gomes Soares, Esmeralda Ribeiro, Fábio Nogueira de Oliveira, Flavio Carrança, Flávio Jorge Rodrigues da Silva, Ieda Leal, Luiz Fernando Costa de Andrade, Janaina Rocha, Joana Ferreira da Silva, Lélia Gonzalez, Lenny Blue de Oliveira, Márcio Barbosa, Maria Inês da Silva, Milton Barbosa, Mirella Domenich, Neusa Maria Pereira, Patricia Casseano, Paulo Rafael da Silva, Paulo Ramos e Rafael Pinto.

Dividido em duas partes, o livro inicialmente situa a fundação do movimento, apresentando antecedentes, informações sobre o contexto em que a luta se dava e depoimentos de alguns dos fundadores do MNU. A segunda parte discute o desenrolar da história do movimento e a contemporaneidade da luta.




0 visualização0 comentário