top of page
site-sma.png

FILME TRAZ HISTÓRIA DE JOGADOR LENDÁRIO DO SERTÃO BAIANO QUE NÃO FEZ CARREIRA PROFISSIONAL




A Câmara Municipal de Uauá, no Sertão do São Francisco, será palco de exibição de um documentário sobre uma lenda do futebol local. “O homem que jogava demais”, dirigido por Felisberto Bulcão com produção de Raphael Ângelo, vai ser exibido no próximo dia 21 de abril, às 10h, com entrada franca.


O filme é uma homenagem a Denílson Cardoso Peixinho, que apesar de não ter feito carreira no futebol profissional deixou uma legião de fãs.


“O nome de Denílson foi trazido para a pauta por Raphael, juazeirense que passou a infância em Uauá e conheceu a performance do craque. Rapha foi taxativo e defendeu que em Uauá tinha um cara que era melhor do que Bobô. Após as contestações de todos, ele reforçou que amava futebol por causa de Zico, Maradona e Denílson”, disse Felisberto Bulcão, rendido à ideia de documentar um recorte da vida do lendário Denílson.

Raphael Ângelo abraçou a ideia de produzir o documentário, entrou em contato com velhos amigos de Uauá e, alguns meses depois, a pequena equipe composta por Bulcão, sua filha Liz e Brust, que atua com assistente de direção, cruzou o estado. Lá iniciaram a coleta de depoimentos daqueles que viram Denílson em ação dentro das quatro linhas.


Dezenas de relatos apaixonados, convergentes para exclamações: “foi um gênio!”, “foi um craque!”, “foi fora do comum!” e “foi o nosso Zico!”. O filme também discute o conceito de glória e sucesso.





Comentarios


bottom of page