FILME BAIANO ‘NA RÉDEA CURTA’ TEM LAPINHA E CACHOEIRA COMO CENÁRIOS; SAIBA MAIS SOBRE O LONGA



Com previsão de estreia nas telonas do Brasil para 1º de dezembro, o filme baiano “Na Rédea Curta” terá como cenários o bairro da Lapinha, em Salvador, e a cidade de Cachoeira.


O longa é uma adaptação da websérie de comédia estrelada pelos personagens Júnior (Thiago Almasy) e Mainha (Sulivã Bispo) - veja mais. A obra conta com a direção de Glenda Nicácio e Ary Rosa.

Em coletiva de imprensa realizada nesta quarta-feira (23), os atores falaram sobre a experiência da gravação do longa e o que essa nova etapa do projeto, que se iniciou de forma orgânica na internet, representa para a equipe.


“A websérie se passa toda na Lapinha, na casa dos meus pais, e uma coisa que foi muito bonita foi perceber como o entorno se comportou para o filme. Todos os vizinhos lá fizeram figuração de alguma forma. Quando pedimos para os vizinhos desligarem o som ou tirarem os carros isso nunca foi um problema para eles, era até um motivo de um certo orgulho para eles porque eles sempre se sentiram parte dessa história. [...] Nós tivemos que transformar a casa dos meus pais em um set de cinema. Na websérie a equipe é formada por cinco pessoas, já no filme foram 40. E eu lembro que tinha conversado com meus pais que queria gravar na casa, que achava que era importante para a linguagem do filme, para a Lapinha, para o bairro e para a história, e comuniquei isso para eles”, contou Thiago Almasy.


“Na Rédea Curta” ficou famosa na internet, tendo seus personagens como protagonistas de comerciais televisivos, além de uma adaptação para o teatro, lotando a sala principal do Teatro Castro Alves, na capital baiana. No enredo, o audiovisual retrata o dia a dia de uma mãe e um filho de periferia. Segundo Sulivã, Mainha é uma personagem criada de forma instintiva e que tem como referências sua mãe, avó, madrinha e Irmãs de Santo, a partir de suas referências de menino criado no Curuzu.


“Eu acho que construir esses personagens é um processo muito pautado nesse teatro negro, nesse teatro popular. Tanto eu como o Thiago, somos atores de teatro, além do audiovisual e internet. Falando do ponto de vista da criação dos personagens, eu sempre digo que mainha não foi um personagem que eu estudei para fazer, é um personagem muito pautado nas minhas memórias e quando trazemos a maternidade precisamos falar dessa maternidade preta. É muito raro você ver mãe preta no humor, de ver personagens matriarcais nesse humor brasileiro, esse humor que está sempre pautado a falar de negritude na chacota, no estereótipo negativo, na ridicularização. Então é importante falar também desse recorte afirmativo e entender que a maternidade é plural”, explicou Sulivã.

No filme, distribuído pela Elo Studios e produção da Rosza Filmes, a dupla entra numa situação inédita, quando Júnior, criado apenas pela mãe, terá que descobrir como ser pai após saber da gravidez de sua namorada.


A comédia contará ainda com nomes como Zezé Motta e Jackson Costa em seu elenco, e participações especiais como a da jornalista e apresentadora Rita Batista. O roteiro é assinado por Ary Rosa, Camila Gregório, Glenda Nicácio, Sulivã Bispo, Thiago Almasy e Tidi Eglantine.



Fonte: https://www.bahianoticias.com.br/bnhall/noticia/2417-filme-baiano-na-redea-curta-tem-lapinha-e-cachoeira-como-cenarios-saiba-mais-sobre-o-longa



2 visualizações0 comentário