ESQUADRILHA DA FUMAÇA FAZ SHOW AÉREO NA CAPITAL BAIANA


Foto: Betto Jr./SECOM-PMS

O céu de Salvador teve um toque especial na tarde desta quinta-feira (25), com a apresentação da Esquadrilha da Fumaça, da Força Aérea Brasileira (FAB). As acrobacias puderam ser vistas desde o Morro do Cristo, na Barra, até a região do Comércio.


No Farol da Barra, centenas de pessoas prestigiaram os movimentos sincronizados dos 15 “fumaceiros” – oficiais responsáveis pelas inusitadas manobras aéreas.

A Esquadrilha da Fumaça utilizou no show as aeronaves A-29, chamadas de Super Tucano, um modelo de caça responsável pela garantia da segurança nas fronteiras do país atualmente. A Super Tucano é uma aeronave turboélice de ataque leve e treinamento avançado, que incorpora a mais moderna tecnologia em aviônico e armamento.


A assistente social Juliana Benjaim, de 39 anos, ficou encantada com a iniciativa.


“Foi um espetáculo à parte para quem assistiu aqui. Já pude presenciar outras apresentações da Esquadrilha da Fumaça em Salvador, mas nunca vi tão de perto. A organização do evento também chamou a atenção, porque tudo aconteceu de forma muito tranquila. Realmente deixou o céu da cidade mais abrilhantado”, disse.

O público também pôde conferir um estande com exposição dos produtos da Esquadrilha da Fumaça, a exemplo de bonés, camisetas e chaveiros, dentre outros itens. Houve ainda a presença de um grupo para tirar dúvidas sobre as formas de ingresso na FAB. Além disso, o espaço contou com uma apresentação de cães de guerra e exposição estática de equipamentos, promovida pela Base Aérea de Salvador.


O coronel da FAB, Marcelo Borges, ressaltou que a apresentação ao público tem a intenção também de captar pessoas que tenham o interesse em servir à FAB, além de demonstrar o treinamento pelo qual os pilotos brasileiros passam e a capacidade técnica que desenvolvem para fazer as manobras.


“Também podemos mostrar a qualidade das aeronaves, todas de fabricação nacional pela Embraer, e que são utilizadas para atividades como controle do narcotráfico nas fronteiras”, declarou.

O artesão Márcio José Santos, de 43 anos, afirmou que o evento foi maravilhoso.


“Não é fácil o trabalho que os pilotos fazem, que é de excelência. É lindo! Consegui ver pela primeira vez de perto e me emocionei bastante”, relatou.
1 visualização0 comentário