top of page

CONHEÇA O MÚSICO BAIANO JAHGUN: EX MORADOR DA CAPELINHA QUE CONQUISTOU SOLOS ESTADUNIDENSES


Foto: Divulgação


Fábio Anderson Silva de Assis, mais conhecido como Jahgun, é cantor, compositor, músico, produtor musical e empreendedor brasileiro-estadunidense. Nascido em 28 de maio de 1979, em Salvador, Bahia, Santa Brasil, no bairro da Capelinha, mora em Los Angeles, Califórnia, Estados Unidos desde 2001.


Jahgun é um dos quatro filhos da então faxineira Sônia Maria da Luzia. Desde criança, ele se interessava por música, e já mostrava seu talento ao brincar com instrumentos feitos de lata, ou ao cantar e batucar nas mesas da sala de aula.

Na escola, apesar de demonstrar curiosidade por assuntos da área de Humanas, a proposta pedagógica da época não o motivava a se dedicar aos estudos, pois na escola pública da década de 1980, ainda não era levado em consideração o contexto sociocultural dos estudantes e nem seus interesses.


A falta de estímulo da escola aliada à necessidade financeira, o empurraram para o mercado de trabalho bem cedo.


Aos 12 anos, já trabalhava vendendo pipoca, picolé, balas e chocolate pelas ruas de Salvador.

Durante um período curto, foi entregador de pão, mas sua mãe o impediu de continuar nesse trabalho quando o flagrou carregando um cesto muito pesado para sua estrutura física. Sua mãe aceitou o trabalho prematuro de seu filho porque era necessário, mas não a exploração.


Aos 15 anos, quando trabalhava em um mercadinho do bairro, foi acusado injustamente de roubo, então a partir desse acontecimento, ele decide trabalhar como autônomo, e dedicou-se com mais afinco ao ofício de barbeiro, já que desde os 12 anos, já começara a se desenvolver nesta profissão na barbearia de seu tio, Bira Trindade, situada na Jaqueira do Carneiro, no bairro Retiro.


Posteriormente, ele se especializa em cuidados com o cabelo crespo sob a supervisão da Condessa do Ébano, a cabeleireira, Negra Jhô.

São aproximadamente 30 anos trabalhando, como barbeiro, cabeleireiro, cantor e músico. Essa divisão entre a produção artística e a obrigação de ter trabalhos paralelos para sobreviver marcam toda sua vida, tanto que em 2014, fez um curso de Enfermagem em El Camino College, e mesmo não exercendo a profissão de assistente de enfermagem, ele criou mais uma possibilidade de atuação, em caso de necessidade.


As primeiras referências musicais de Jahgun estavam na própria família, seu irmão mais velho, Ney Rios e seu primo Martin Santis são cantores e seu tio-avô Tião Motorista foi um cantor e compositor de grande importância para a música popular brasileira na década de 1970.


Jahgun cresceu sem ter proximidade com seu pai biológico, e por isso também não imaginava que seu talento musical e habilidade como barbeiro também caracterizavam seu genitor, que era barbeiro, cantor e músico, fato descoberto quando já era adulto.

Carreira Artística:


Oficialmente, sua carreira artística começou em Salvador, quando aos 12 anos, cantou pela primeira vez para um grande público na Festa da Lavagem da Boa Vista de São Caetano, na banda de samba reggae, Raça Negra, fundada e regida por seu primo, Martin Santis.


Aos 16 anos, começou a cantar na Banda Juvenil do Olodum, grupo de samba reggae e na Banda Kissukila, grupo de samba com influências do merengue, mas posteriormente optou por seguir a carreira de cantor apenas na Banda Kissukila.

Contudo, Jahgun foi bem sucedido em outras áreas além da música, pois fez trabalhos como modelo em comerciais, desfiles e grandes eventos de moda, como Desfile do Projeto Axé, Barra Fashion e Iguatemi Collection, fez também participações em novelas, minisséries e filmes, como a minissérie da Rede Globo “Labirinto” em 1988.


Em 2001, foi convidado para ir aos Estados Unidos por uma amiga da família, Dra. Mikelle Omari, estudiosa de História da Arte Africana e Afro-estadunidense, acreditava que o talentoso Jahgun teria mais oportunidades de obter sucesso fora do Brasil. Depois de 6 meses, ele decidiu residir definitivamente na América do Norte, e voltou a exercer a profissão de barbeiro, mas continuou a modelar, um dos seus trabalhos de maior destaque foi a campanha publicitária da Cross Colours, uma das mais importantes marcas de roupa Urban Fashion nos EUA.


Jahgun foi modelo para o fotógrafo Davide Stennett, um dos designers mais importantes dessa marca.

Além disso, Jahgun trabalhou como modelo em uma das edições de uma das revistas mais influentes dos EUA, voltada para a comunidade negra, Jet Magazine. E também, participou de vários calendários, como The Spirit of Black Man, fazendo parte de quatro de suas edições.


Paralelo ao trabalho de modelo, fez algumas aparições em filmes, como The Run Down (Bem-vindo à Selva) de 2003, e foi um dos artistas brasileiros convidados a se apresentar no American Idol com Will I Am e Jamie Foxx no lançamento do filme Rio, em 2011.

Entre 2002 e 2010, cantou na banda de Axé, Badauê e na banda de World Music, Mili Mili. Em 2005, ele criou a banda Reggae Motion, a partir de uma música composta no grupo Badauê, mas em 2012, decidiu seguir carreira solo, adotando novo nome, e intensificando seu estilo marcado pelas culturas, estéticas e artes africanas e afro-diaspóricas.


Assim, por respeitar e valorizar suas origens nas culturas africanas, ele decidiu continuar a tradição Yorubá de escolha do próprio nome, e acatou a sugestão da nigeriana Yemi Orija, que o chamou de “jagun”, palavra da língua Yorubá que significa guerreiro, relacionada com Ogun, orixá das lutas e das conquistas.

Ele fez um novo registro, substituindo seu segundo nome por Jahgun, modificou o início da palavra para fazer referência a Jah, Deus na filosofia Rastafari. Assim, Jahgun assumiu esse nome, pois considera que ele honra seus antepassados e melhor representa sua ancestralidade e personalidade.


Ele passou a gerir sua própria carreira, definindo e apresentando sua identidade estética e artística-musical múltipla com os gêneros Samba, Afrobeat, Reggae, Samba Reggae, Afropop e Dancehall.

Durante esse processo, em Los Angeles, ele conheceu Gerson da Conceição, baixista, cantor e produtor nascido no Maranhão e radicado em São Paulo. Gerson da Conceição foi um dos maiores representantes da música Reggae produzida no Brasil e grande influência para a formação de Jahgun como artista.


Eles criaram o projeto de um álbum de Rocksteady e Lovers’ Rock, que demorou quase 10 anos para ser finalizado, chamado New Rockars, lançado um mês depois do falecimento de Gerson em 2019. Essa parceria gerou 35 composições das quais 15 estão nesse álbum.

Em 2019, Jahgun foi convidado a participar do projeto musical Orange Roots, juntamente com o artista visual Max Fonseca e o compositor e diretor musical, Emmanuel Mirdad. O álbum de estreia, “Fluid” tem nove composições em inglês, foi lançado pelo selo Surforeggae Sound System Brazil e tem o estilo “psy prog reggae”, ou seja, psychedelic roots progressive reggae (reggae psicodélico progressivo).


Ao longo de sua carreira solo, Jahgun vem lançando singles em parceria com Wiidope Studios desde 2014, e fazendo participações em projetos de outros artistas, como no álbum Agogo Riddim com a música “Prayers of the Rastaman” e no álbum do grupo Afrodisíaco, Tributo ao Samba Reggae com a música, “Perto daqui” ambos em 2018.

Ele compôs a canção “Locovi” em 2018 para fazer uma homenagem à sua mãe que faleceu em 2016, o clipe dessa música mostra um pouco da história de sua mãe e sua infância, é um filme de curta metragem com duração de aproximadamente dez minutos, e que ficou entre os finalistas de Music Shorts Film Festival em 2019.


Atualmente, Jahgun e Justifyah Band fazem shows nos EUA, trazendo em seu repertório músicas autorais e de outros artistas, como Bob Marley, Alpha Blond, Inner Circle e UB40.

Jahgun foi o único cantor brasileiro a se apresentar no Festival Reggae Sunsplash Beach Party (2012) no Qatar (ainda na Banda Reggae Motion), no Festival Lightning in a Bottle (2022) em Buena Vista Lake na Califórnia, e em um dos maiores eventos de reggae do mundo, Reggae on the Mountain (2022) em Santa Barbara, Califórnia, no qual ele dividiu o palco com Pato Banton, Yellowman, Steel Pulse, Dom Carlos, Ky-Mani Marley, Ziggy Marley, President Brown, Barrington Levy e tantas outras estrelas do Reggae mundial.



Fonte: https://www.aldeianago.com.br/noticia-do-comportamento/31981-2022-12-21-07-00-48

3 visualizações0 comentário
bottom of page