COMEÇA NESTA QUINTA-FEIRA (2) CAMPANHA COM ARTISTAS PARA A EXPOSIÇÃO ‘ENCRUZILHADA’


Fotos: Divulgação

A exposição ENCRUZILHADA, que tem 100 artistas e mais de 400 obras em cartaz no Museu de Arte Moderna (MAM-Bahia), com entrada gratuita até agosto (2022), inicia nesta quinta-feira (2) uma campanha com participação de grandes artistas da Bahia. Dentre eles, J. Cunha, Nádia Taquary, Goya Lopes, Ray Vianna, Nanci Novais, Raimundo Santos Bida, Alberto Pitta, Roney Jorge, Márcia Ganem, Junior Pakapim, Ani Ganzala, Guache Marques, Isabel Gouvêa e Moisés Patrício, dentre outros. Os artistas são participantes da exposição em cartaz e cederam entrevistas falando das suas obras de arte e sobre a importância da temática afrodescendente da mostra.


O diretor do MAM, Pola Ribeiro, explica que essas imagens e explicações dos artistas facilitam o acesso e a compreensão da exposição para o público interessado, além de divulgar ainda mais a mostra que é pública e gratuita.


“Começamos agora a veicular como ‘chamadas’ algumas entrevistas na TV Educativa da Bahia (TVE) e no Cinema do MAM. O próximo passo é veicular nas redes sociais – que começa amanhã (2) –, filmar e fotografar os bastidores, para finalmente lançar um documentário completo e editado no Cine MAM, no site e na conta do YouTube do museu até o mês de julho”, conclui Pola. A iniciativa tem apoio da Secretaria de Comunicação do Estado/TVE e do Ipac/Secretaria de Cultura.

Com curadoria conjunta do artista, pesquisador e professor da UFRB, Ayrson Heráclito, e do curador do MAM, Daniel Rangel, a ENCRUZILHADA propõe diálogo entre o acervo modernista e contemporâneo do MAM com a Coleção de Arte Africana do Solar Ferrão (Dimus/Ipac). O acervo africano ainda está em pesquisa, mas até agora se supõe que suas peças sejam originadas de 24 etnias e 15 países da África. A semelhança estética-conceitual e as relações entre as 400 obras têm atraído um número cada vez maior de visitantes.




Documentário e clipes – Até o mês de julho, as entrevistas vão compor ainda um videodocumentário que inclui entrevistas com os curadores, além de imagens rebuscadas de quadros, esculturas e instalações artísticas. O Documentário será veiculado em emissoras de TV abertas e por assinatura. Por enquanto, as entrevistas estão sendo exibidas como clips na TVE. Serão publicadas ainda nas redes sociais governamentais e nas do MAM.


O Documentário mostrará as opiniões dos artistas e curadores, servindo de divulgação, memória e reflexão para o público frequentador. “Mas também o Documentário servirá para quem não consegue vir ao Museu, já que estará na internet”, completa. O documentário é realizado pela RC Produções, com direção de Pola Ribeiro, edição de Lucas Semente, assistência de direção de Thales Albieri, arte de Igor Miranda, fotografia e câmera de Pepito Gonzales e Willian Costa, e assistência de Carlos Lima Pernambuco.

A atual exposição deve bater o recorde de visitas. A última mostra do MAM, ‘O Museu de Dona Lina’, contabilizou 70 mil visitantes entre agosto/2021 e fevereiro/2022. Desde que a ENCRUZILHADA foi aberta, em apenas um mês já completou mais de 12,5 mil visitantes. A mostra ‘O Museu de Dona Lina’ ainda é acessada via link http://virtual.mam.ba.gov.br/ e a ‘Galeria de Artistas e Obras’ com fotos e minibiografias no link.


O Catálogo Geral do MAM e o Catálogo da mostra ‘O Museu de Dona Lina’ são acessados via barra superior do site www.mam.ba.gov.br, no link ‘Acervo’. Além de exposições, o MAM tem livraria, cinema, café, oficinas, residências artísticas, arquitetura e história. Como o estacionamento é pequeno em função de atividades no Pátio Pôr do Sol, recomenda-se vir com veículos de aplicativo.



3 visualizações0 comentário