top of page
site-sma.png

BARRACÃO CULTURAL ODOYÁ PROMOVE AÇÕES DE VALORIZAÇÃO DA CAPOEIRA DURANTE FESTA DE YEMANJÁ


Divulgação


Iniciativa terá três dias de atividades culturais


Cultura e ancestralidade estão completamente interligadas. É com o propósito de fazer um resgate ancestral e mostrar o protagonismo do “povo que ginga” que, no dia 2 de fevereiro, na Rua Fonte do Boi, nº 3 (ao lado do restaurante Manjericão), será realizada a segunda edição do Barracão Cultural Odoyá.


Em 2020, o evento reuniu capoeiristas, devotos da rainha do mar e foliões que aproveitaram o espaço para já entrar no esquenta do verão.

Neste ano, o Barracão promete levar ao público momentos festivos, de celebração da capoeira baiana e valorização da cultura afro-brasileira com muito samba de roda, capoeira e uma deliciosa feijoada que, mais uma vez, é o carro-chefe da gastronomia do evento.


A novidade para 2023 é que o projeto retoma no pós-pandemia com uma programação mais robusta.

Incluindo o 2 de fevereiro, serão três dias de atividades em diversos pontos da capital baiana. A primeira ação acontece no dia 27 de janeiro, na Biblioteca Central dos Barris, e contará com apresentações da Orquestra de Berimbaus Afinados Dainho Xequerê (OBADX), roda de capoeira e intervenções artísticas. Na oportunidade será anunciada a edição internacional do 2º Festival de Capoeira: ancestralidade e resistência.



Thank you for watching


No dia seguinte é a vez de Itapuã sediar a programação itinerante do Barracão Cultural Odoyá. A Casa da Música, localizada na Lagoa do Abaeté, terá um dia inteiro de atividades com oficinas, rodas de conversa, entrega do Balaio Sustentável, entre outras ações.


O público poderá participar das oficinas: Sensibilização com Movimentos de Dança para Oxum; Confecção do Balaio Sustentável; Percussão Corporal e Ondas Sonoras; Composições, Musicalidade e o Axé na Roda; e Técnica Vocal.

As inscrições gratuitas podem ser feitas no link: http://encurtador.com.br/OPX25


O dia será marcado também pela roda de conversa “Ancestralidade da Musicalidade na Capoeira: história e significado” com os debatedores: Mestra Dandara, Mestre Quiabo, professor Varão Angola e professora Odara, sob a mediação do coordenador do evento, Contramestre Dainho Xequerê.


O dia 2 de fevereiro, durante os festejos de Yemanjá, marca o fechamento das atividades. As celebrações iniciam às 6h30 com um café da manhã tropical, no Barracão Cultural Odoyá. O café será a concentração para a entrega do Balaio Sustentável à rainha do mar, que sairá às 9h.


Haverá, ainda, um cortejo cultural às 7h com Berimbalada e Ngoma Móvel - manifesto em defesa da cultura popular e pela implementação da capoeira nas escolas públicas da Bahia, Lei Moa do Katendê (Lei nº 14.341/2021).

No mesmo dia, a partir das 12h, o público poderá desfrutar de uma feijoada ao som de samba e músicas que exaltam a cultura afro-brasileira – evento realizado pelo Capoeira em Movimento Bahia (CMB) e Velho Espanha Bar e Cultura.


Os ingressos podem ser adquiridos no Bar Velho Espanha, nos Barris, ou pelo direct no Instagram @capoeiraemmovimentobahia. O projeto conta com patrocínio da Bahiagás que valoriza e incentiva a cultura no estado da Bahia.

CMB: Luta e ancestralidade


O Barracão Cultural Odoyá é realizado pelo CMB, um movimento social, artístico e cultural que congrega capoeiristas, amigos e simpatizantes em defesa da cultura popular e da arte afro-brasileira, em especial pelo reconhecimento e valorização da capoeira e de seus mestres e mestras griôs.


O movimento é fruto de uma ação de salvaguarda da capoeira na Bahia que se faz presente em diversos territórios do estado.

Para além da dimensão cultural de resgate e valorização das tradições, o projeto busca o fomento de políticas públicas e a concretização de lutas como a aplicação da Lei Moa do Katendê – conquista do CMB e da Salvaguarda da Capoeira na Bahia, em parceria com a Deputada Estadual Olívia Santana, autora da Lei.


Balaio Sustentável


Iniciativa da afroempreendedora, Juci Santana, o Balaio Sustentável tem como propósito oferecer à rainha do mar um presente que não polua ou agrida sua morada: o oceano.


O Balaio também pauta a preservação da cultura afro-brasileira e o respeito religioso, reverenciando as águas com foco na sustentabilidade, sendo mais uma voz no combate à poluição marinha.

Assim, a proposta do Balaio é colocar apenas flores e frutos como oferenda para as águas, cumprindo um papel educativo para as futuras gerações no cuidado com a biodiversidade. A oferta do balaio é realizada todos os anos, mas essa é a segunda edição que a iniciativa se integra ao Barracão Cultural Odoyá.


SERVIÇO


O QUÊ: Barracão Cultural Odoyá: musicalidade e ancestralidade

QUANDO: 27 e 28 de janeiro e 2 de fevereiro


ONDE:

27/1 - (sexta-feira): Biblioteca Central dos Barris

28/1- (sábado): Casa da Música (Lagoa do Abaeté, Itapuã)

2/2 - (quinta-feira): Rua Fonte do Boi, nº3, Rio Vermelho



Commentaires


bottom of page